Coletivo de Mulheres dos Químicos Unificados prepara trabalhadoras para encontro sobre gênero

Compartilhe

As trabalhadoras da base do Unificados estão convidadas a participar de encontros regionais nos Centros de Formação e Lazer (Cefol) de Campinas e Osasco, que serão atividades preparatórias para o Encontro de Mulheres da Base, a partir da discussão de alguns temas centrais: “feminismo”, “direito ao corpo” e “mulher e trabalho”. Em Campinas o encontro regional será realizado em 13 de setembro (domingo) e em Osasco no dia 20 de setembro (domingo). Ambos com início às 09h30. Para participar, basta entrar em contato com dirigentes sindicais do Unificados. A coordenação dos trabalhos será da socióloga Marcela Moreira.

Desigualdade de gênero

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Dados da última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, divulgada pelo IBGE em 2013 revelam que as mulheres são maioria da população brasileira (51,4%), passaram a viver mais, têm tido menos filhos, ocupam cada vez mais espaço no mercado de trabalho e, atualmente, são responsáveis pelo sustento de 37,3% das famílias.

Este estudo retrata a crescente presença de mulheres em diferentes espaços sociais, mas para o Unificados é importante a questão: Seja no trabalho ou nos lares, há, de fato, condições iguais de vida entre homens e mulheres?

As estatísticas sobre a violência contra as mulheres mostram que muito precisa ser feito.

Em seu 6º Congresso, entre outras decisões, o Unificados definiu oferecer formação continuada às trabalhadoras da base e continuar com a realização de encontros e oficinas com o objetivo de combater a opressão, o machismo, e avançar no campo das condições de trabalho para as mulheres dos setores químico e farmacêutico.

Brasil é o 7º país com maior número de homicídios de mulheres

Entre 1980 e 2010, cerca de 92 mil mulheres foram assassinadas, sendo 43,7 mil só na última década. Em média, a cada 2 horas uma brasileira foi morta em condições violentas.
Comparando-se a quantidade de mortes no primeiro ano (1980) e no último (2010) do período estudado, os homicídios passaram de 1.353 para 4.465 – um aumento de 230%.

O Brasil tem 4,4 assassinatos para 100 mil mulheres, que o coloca entre os países com maior índice de homicídios femininos: ocupa a sétima posição em um ranking de 84 nações.

Químicos Unif 012_01

Fonte: Sindicato dos Químicos Unificados de Campinas, Osasco, Vinhedo e região

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

11/08 - Intersindical nas ruas em Defesa da Democracia e por Fora Bolsonaro
11/08 - Intersindical nas ruas em Defesa da Democracia e por Fora Bolsonaro
Lula em Diadema, melhores momentos
Lula em Diadema, melhores momentos
Intersindical participa do 9 de JULHO: DIA DA LUTA OPERÁRIA
Intersindical participa do 9 de JULHO: DIA DA LUTA OPERÁRIA
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

DESTAQUES

NOTÍCIAS

Skip to content