Entrar

Lula: O Brasil escolheu democracia

Imagem: Comunicação da Intersindical
Compartilhe:

Com votação recorde, Lula é eleito pela terceira vez e tem o desafio de reconstruir a economia, os direitos e a democracia

No último domingo (30), 124.252.796 eleitores e eleitoras compareceram às urnas, número equivalente a 79,41% do eleitorado brasileiro e, com votação recorde – mais de 60 milhões de votos -, elegeram Luiz Inácio Lula da Silva, pela terceira vez, presidente do Brasil.

Como afirmou Lula, no pronunciamento da vitória, “não se trata da vitória de um candidato ou partido, mas de todos e todas que defendem a democracia”. Na mesma ocasião, afirmou a necessidade de unir a nação em todo de uma agenda de recuperação econômica e democrática, aumentando a geração de empregos, garantido o auxílio aos que mais precisam e reintroduzir soberanamente o Brasil nas relações internacionais.

A vitória de Lula em 2022 tem uma dimensão épica em vários aspectos, em especial porque teve de enfrentar uma indústria de fake news, a violência política, o impacto eleitoral do Orçamento Secreto, o assédio eleitoral por parte de alguns empregadores apoiadores de Bolsonaro (PL) e por fim, no dia da votação, as mais de 500 operações da PRF (Polícia Rodoviária Federal) que procuravam dificultar o acesso de eleitores aos locais de votação nos estados do Nordeste. Nesta região Lula obteve 69,84% dos votos, o que lhe deu uma vantagem estratégica sobre o atual presidente.

Para os trabalhadores e trabalhadoras a vitória de Lula significa a interrupção de seis anos de retirada de direitos, perseguição das entidades sindicais e perda de salários.

Para Nilza Pereira (Direção Nacional da Intersindical), o resultado das urnas “aponta para a possibilidade de um governo democrático orientado para melhorar a vida das pessoas, com o aumento de salário, garantia de direitos, retomada das obras públicas e com isso gerar empregos e distribuir renda para os mais necessitados.”

Nilza afirma que a vitória tem um significado ainda mais profundo pois indica o “fortalecimento da liberdade de expressão. liberdade de organização e a defesa do voto e da democracia”. A dirigente espera que “o Brasil reencontre o caminho do progresso, da liberdade, da prosperidade e da paz” com o próximo mandato presidencial.

A Intersindical, em conjunto com as demais centrais sindicais, têm o desafio de fazer avançar a Pauta da Classe Trabalhadora que aponta medidas emergenciais para retomada de mais e melhores empregos, garantia de direitos e apoio à reindustrialização do país. O movimento sindical esteve presente na luta contra o fascismo e a agenda antipopular do atual governo e estará ao lado dos trabalhadores e trabalhadoras neste novo período que estamos prestes a iniciar em nosso país.

A Intersindical felicita todas e todos que participaram ativamente desta vitória histórica e conclama a mantermos mobilizados e em unidade para reconstruir e unificar o país.

Secretaria de Comunicação da Intersindical Central da Classe Trabalhadora

Acha esse conteúdo importante? Entre em nosso grupo de WhatsApp ou inscreva-se para receber nossa Newsletter

Comente esta publicação

Acompanhar a discussão
Notificar de
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
INTERSINDICAL Central da Classe Trabalhadora | 2014-2024. Sede Nacional: Rua Riachuelo, 122 - CEP: 01007-000 | Praça da Sé - São Paulo - SP | Fone: +55 11 3105-5510 | E-mail: [email protected] Sindicatos e movimentos sociais. Permitida a reprodução dos conteúdos do site, desde que citada a fonte. Esse site é protegido por reCAPTCHA. Políticas de Privacidade e Termos de Serviço se aplicam
Pular para o conteúdo