Entrar
no grupo

NOTA PÚBLICA: PRIVATIZAÇÃO CRIMINOSA DA SABESP RETROCESSO, ATAQUE A DIREITOS E VIOLÊNCIA POLICIAL

Imagem:
Compartilhe:


O governador de São Paulo, Tarcisio de Freitas (Republicanos) conseguiu, nesta quarta-feira (07/12), aprovar o PL 1501/2023 que autoriza a privatização da SABESP, empresa pública de água e saneamento do Estado de São Paulo. O projeto obteve 63 votos a favor, 1 contra. A oposição se retirou da votação e pediu sua suspensão, porém não foi aceita pelo presidente da ALESP que resolveu realizá-la de qualquer forma.


A votação ocorreu após a PM de Tarcísio agredir, por mais de 30 minutos, manifestantes contrários à privatização dentro do Plenário JK (ALESP), do qual foram expulsos com golpes de cacete e gás de pimenta, vários foram feridos e detidos. Essa é a forma autoritária do governo agir e que apenas atende os interesses do empresariado aliados ao projeto de extrema-direita do governador Tarcísio.


A proposta de privatização da SABESP é um profundo contra senso, a empresa é um exemplo de sucesso, para se ter uma ideia, só no passado ela alcançou 3,5 bilhões de reais em lucros, parte desse recurso vai para ampliação da rede de atendimento e melhoria do sistema, e a outra parte vai parar dos cofres do Estado para ser utilizados pelo governo. A proposta de privatização é entregar todo esse lucro para os empresários que comprarem a empresa, os investimentos irão parar e o serviço irá ficar mais caro, fato que aconteceu em todas as cidades onde ocorreu privatização das empresas de água.


A privatização da Sabesp coloca em risco o direito à água e ao saneamento básico, que são direitos fundamentais da população. A experiência internacional mostra que a privatização do saneamento básico tem levado a aumentos de tarifas, redução da qualidade do serviço e aumento da desigualdade.

O projeto de privatização de Tarcísio não irá parar na Sabesp, mas pretende ainda avançar na venda do Metrô e dos trens da CPTM. É um projeto de liquidação do patrimônio do povo de São Paulo.
A Intersindical Central da Classe Trabalhadora vem a público manifestar sua INDIGNAÇÃO com a votação da privatização da Sabesp e REPUDIAR a violência policial contra os manifestantes, bem como exige que as autoridades competentes tomem providências para investigar e responsabilizar os agentes de segurança e o governador pelo uso ilegal da força contra uma manifestação democrática.


Assim como nos engajamos no plebiscito popular sobre as privatizações, que teve a participação de 900 mil pessoas em todo o estado, seguiremos debatendo com a população sobre os danos e retrocesso que irão ocorrer caso as privatizações da Sabesp, Metrô e CPTM ocorram. Sabemos que a população de São Paulo não esquecerá nem perdoará o governador e os deputados que participaram desse crime contra o patrimônio público do povo paulista.


Exigimos que o estado organize um plebiscito para que a população participe e opine sobre a proposta de privatização dos bens públicos.
Exigimos a liberdade dos presos. Condenamos a ação truculenta da PM de Tarcísio que de forma criminosa cometeu abusos com as pessoas que lutam pelo bem coletivo à água.


A luta continua! Não às privatizações!
A SABESP, o Metrô e a CPTM pertencem ao povo de São Paulo.
São Paulo, 08 de dezembro de 2023.
Nilza Pereira
Secretaria General de Intersindical

Acha esse conteúdo importante? Entre em nosso grupo de WhatsApp ou inscreva-se para receber nossa Newsletter

Comente esta publicação

Acompanhar a discussão
Notificar de
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
INTERSINDICAL Central da Classe Trabalhadora | 2014-2024. Sede Nacional: Rua Riachuelo, 122 - CEP: 01007-000 | Praça da Sé - São Paulo - SP | Fone: +55 11 3105-5510 | E-mail: [email protected] Sindicatos e movimentos sociais. Permitida a reprodução dos conteúdos do site, desde que citada a fonte. Esse site é protegido por reCAPTCHA. Políticas de Privacidade e Termos de Serviço se aplicam

Cadastre-se

Receba novidades em seu e-mail. Sem spams.
Pular para o conteúdo